Não é possível viver sem livros

No dia 23 de abril é o Dia do Livro e também dos 450 anos da morte de dois grandes gênios da literatura universal, de Miguel de Cervantes e William Shakespeare. Quatro séculos e meio após o desaparecimento destes dois nomes incontornáveis da literatura espanhola e inglesa, o livro ainda é o melhor veículo de transmissão cultural, de divulgação de idéias e de difusão de histórias.
No relatório anual do Observatório da Leitura e o Livro do Ministério da Cultura, trata-se de refletir qual é o estado de saúde do sector do livro em Portugal. Este documento contém alguns dados curiosos, como o fato de que a cada dia são registrados cerca de 250 novos títulos de todos os tipos, dos quais 55 são em suporte digital. Por dia, as editoras lançam ao mercado 621.000 livros e se vendem 421.000, o que representa cerca de vendas anuais próximas dos 2.200 milhões de euros e cerca de 153 milhões de livros. No entanto, nos últimos anos o setor vem experimentando um importante diminuição no seu volume de negócios, como consequência, principalmente, da crise económica e financeira iniciada em 2007. No entanto, a partir de 2014 estabilizou o mercado do livro e conseguiu reverter, ainda que timidamente, essa tendência para a baixa.
Quais livros compramos os espanhóis?
A parte do leão é a levam os livros de texto, que representam pouco mais da quarta parte de todos os que são vendidos anualmente no nosso país. Segue muito de perto a literatura, o que representa 24 de cada 100 livros vendidos, e os livros infantis e juvenis, que são 19 em cada 100 exemplares comercializados em nossas livrarias. O formato também tem sua importância, embora apenas 9% das vendas correspondem a livros de bolso. Por cada 100 euros de facturação, mais da metade, em concreto 54, vêm da venda de livros didáticos e de literatura, 5 euros correspondem a livros digitais e 4,7 em edições de bolso.
O sector do livro de cara ao futuro
O livro português tem uma enorme projeção de futuro, para o que contribui para a vitalidade do idioma português. Compartilhar uma língua aumenta as vendas para o exterior, como demonstra o fato de que, de acordo com os dados do último relatório sobre o Comércio Exterior do Livro, o faturamento total do setor atingiu os 541,76 milhões de euros, com 2,9% de crescimento. Em suma, a indústria editorial espanhola é uma das mais poderosas e antigas da Europa, e um dos setores econômicos de nosso país, com maior projeção internacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.